Loading...

sexta-feira, 24 de junho de 2016

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

A Palavra que Cura

A Palavra que Cura - Parte 1

Existem milhares de pessoas que estão sofrendo neste exato momento com doenças e enfermidades e muitas vezes não têm solução ou tratamento adequado. Não dormem direito, ficam ansiosas e até mesmo desesperadas devido a seriedade de um diagnóstico médico. Pessoas que sofrem com dores quase que insuportáveis e não encontram nenhuma solução para as suas vidas. Os médicos são homens capacitados por Deus para curar as pessoas, mas em muitos casos eles ficam limitados. Não é pecado ir ao médico. 

Caso você ainda não desenvolveu sua fé para receber o seu milagre, vá ao médico, tome os remédios conforme prescrição médica, mas não deixe de ouvir, ler ou assistir ministrações que falem sobre o assunto sobre Cura Divina, pois a fé vem pelo ouvir a Palavra de Cristo.
A fé vem... tá chegando... você vai receber!
"E, assim, a fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo." (Rm 10.17)

Não recebemos o Espírito Santo por obras e sim por fé
"Quero apenas saber isto de vós: recebestes o Espírito pelas obras da lei ou pela pregação da fé?" (Gl 3:2)

Deus nos concede o Espírito e opera milagres pela pregação da fé
Aquele, pois, que vos concede o Espírito e que opera milagres entre vós, porventura, o faz pelas obras da lei ou pela pregação da fé? 
Você vai receber a sua cura através da fé gerada em seu coração
através da Palavra de Deus!

Pode o homem ser acometido com enfermidades e doenças hoje? Sim. 
Deus proveu cura para o homem nos dias de hoje? Sim. 
Somos obrigados a permanecer doentes, fracos e enfermos? Não 
Como tomar posse da cura de Deus para a sua vida?

Antes de entrar na questão da cura, gostaria de contextualizar o princípio das coisas: 
Deus criou o homem e o colocou no jardim do Éden para cuidar e cultivar o jardim. No princípio não havia morte, doenças, enfermidades ou pecado. Havia abundância de coisas boas e da presença de Deus.

"26     Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra.27     Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.28     E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela terra.29     E disse Deus ainda: Eis que vos tenho dado todas as ervas que dão semente e se acham na superfície de toda a terra e todas as árvores em que há fruto que dê semente; isso vos será para mantimento. (Gn 1: 26-29)

Deus deu uma ordem ao homem:
"15 E tomou o Senhor Deus o homem e o pôs no jardim do Éden para o lavrar e o guardar.16 E ordenou o Senhor Deus ao homem, dizendo: De toda árvore do jardim comerás livremente, 17 mas da árvore da ciência do bem e do mal, dela não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás." (Gn 2.15-17)

O homem desobedeceu a Deus:
"6 E, vendo a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento, tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e elecomeu com ela." (Gn 3.6)

Após este ato, o homem perdeu a comunhão com Deus, teve medo de Deus e se escondeu de Deus:
"8 E ouviram a voz do Senhor Deus, que passeava no jardim pela viração do dia; e escondeu-se Adão e sua mulher da presença do Senhor Deus, entre as árvores do jardim. 9 E chamou o Senhor Deus a Adão e disse-lhe: Onde estás? 10 E ele disse: Ouvi a tua voz soar no jardim, e temi, porque estava nu, e escondi-me. (Gn 3.8-10)

Deus tinha dito a Adão: "No dia em que dela comeres, certamente morrerás."

Então, qual foi o dia em que Adão morreu? No dia em que ele comeu do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal.

Adão viveu 930 anos nesta terra, então ele não morreu fisicamente, ele morreu espiritualmente.
"3 E Adão viveu cento e trinta anos, e gerou um filho à sua semelhança, conforme a sua imagem, e chamou o seu nome Sete. 4 E foram os dias de Adão, depois que gerou a Sete, oitocentos anos, e gerou filhos e filhas. 5 E foram todos os dias que Adão viveu novecentos e trinta anos; e morreu" (Gn 5.3-5)

Existem três tipos de morte citados na Palavra de Deus:

1. Morte física (Gn 5:5, 8, 11, 14, 17, 20)
5     Os dias todos da vida de Adão foram novecentos e trinta anos; e morreu.
8     Todos os dias de Sete foram novecentos e doze anos; e morreu.
11     Todos os dias de Enos foram novecentos e cinco anos; e morreu.
14     Todos os dias de Cainã foram novecentos e dez anos; e morreu.
17     Todos os dias de Maalalel foram oitocentos e noventa e cinco anos; e morreu.
20     Todos os dias de Jarede foram novecentos e sessenta e dois anos; e morreu.

2. Morte espiritual
"Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados" (Ef 2:1)
"Em verdade, em verdade vos digo quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna, não entra em juízo, mas passou da morte para a vida." (Jo 5:24)

3. A segunda morte (Lago de fogo)
"11     Vi um grande trono branco e aquele que nele se assenta, de cuja presença fugiram a terra e o céu, e não se achou lugar para eles.12     Vi também os mortos, os grandes e os pequenos, postos em pé diante do trono. Então, se abriram livros. Ainda outro livro, o Livro da Vida, foi aberto. E os mortos foram julgados, segundo as suas obras, conforme o que se achava escrito nos livros.13     Deu o mar os mortos que nele estavam. A morte e o além entregaram os mortos que neles havia. E foram julgados, um por um, segundo as suas obras.14     Então, a morte e o inferno foram lançados para dentro do lago de fogo. Esta é a segunda morte, o lago de fogo." (Ap 20:11-14)

Existem particularidades entre a morte física, morte espiritual e a segunda morte:

1. Morte física - É a separação do espírito do corpo;
2. Morte espiritual - É a separação do nosso espírito do Espírito de Deus;
3. Segunda morte - É a separação eterna do nosso espírito do Espírito de Deus.

Agora entenda: O pecado entrou no mundo por intermédio de Adão; através do pecado, a morte (espiritual) entrou no mundo e passou a todos os homens, porque todos homens (em Adão), pecaram.
"Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram." (Rm 5.12)

A morte é consequência do pecado:
"13     Ninguém, ao ser tentado diga: Sou tentado por Deus; porque Deus não pode ser tentado pelo mal e ele mesmo a ninguém tenta.14     Ao contrário, cada um é tentado pela sua própria cobiça, quando esta o atrai e seduz.15     Então, a cobiça, depois de haver concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, uma vez consumado, gera morte." (Tg 1:13-15)

A terra foi amaldiçoada por causa do pecado, o homem foi amaldiçoado por causa do pecado, o homem morreu espiritualmente. Como consequência do pecado veio violência, homicídios (Caim matou Abel), inveja, depravações, doenças, enfermidades e etc...

No princípio não fomos criados para ficarmos doentes e muito menos para sofrer a morte.

O homem tinha autoridade, governo e domínio sobre todas as obras das mãos de Deus.
" Os céus são os céus do Senhor, mas a terra, deu-a ele aos filhos dos homens." (Sl 115.16)
" que é o homem, que dele te lembres? E o filho do homem, que o visites? 5     Fizeste-o, no entanto, por um pouco, menor do que Deus e de glória e de honra o coroaste. 6     Deste-lhe domínio sobre as obras da tua mão e sob seus pés tudo lhe puseste: 7     ovelhas e bois, todos, e também os animais do campo; 8     as aves do céu, e os peixes do mar, e tudo o que percorre as sendas dos mares. 9     Ó Senhor, Senhor nosso, quão magnífico em toda a terra é o teu nome!" (Sl 8.4-9)

Por causa do pecado e morte espiritual do homem Jesus disse a Nicodemos:
"3:1     Havia, entre os fariseus, um homem chamado Nicodemos, um dos principais dos judeus.2     Este, de noite, foi ter com Jesus e lhe disse: Rabi, sabemos que és Mestre vindo da parte de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não estiver com ele.3     A isto, respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.4     Perguntou-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, voltar ao ventre materno e nascer segunda vez?5     

Respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo: quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus.6     O que é nascido da carne é carne; e o que é nascido do Espírito é espírito." (Jo 3:1-6)

O que é nascido da carne, ou seja, o que é nascido de herança paterna, humana ou biológica é um ser humano. O que é nascido do Espírito é aquele que nasceu espiritualmente, é uma nova criação através de Cristo Jesus.

"E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura (ou criação); as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas."(2Co 5:17)

"quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus.6     O que é nascido da carne é carne; e o que é nascido do Espírito é espírito." (Jo 3:5-6)

Nascer da água (Batismo) - Nascer do Espírito (Através do Espírito Santo)

Resumindo: O homem foi criado por Deus para dominar, governar sobre todas as obras das mãos de Deus. O homem tinha tudo em abundância, vida, saúde, presença de Deus. O homem não conhecia a morte, violência, homicídios, depravações, nem doenças, nem enfermidades. A morte e toda sorte de maldições como: doenças, enfermidades, miséria, pobreza e ruína vieram após o pecado.

O homem perdeu tudo o que havia de bom.

Jesus Cristo veio e recuperou tudo de volta para nós:
Vida (Zoe - A vida de Deus);
Toda sorte de provisão;
saúde perfeita,
Vida abundante,
Restauração da comunhão com o Pai.

Perguntas:

Pode o homem ser acometido com enfermidades e doenças hoje? Sim.

Deus proveu cura para o homem nos dias de hoje? Sim.

Somos obrigados a permanecer doentes, fracos e enfermos? Não

Como tomar posse da cura de Deus para a sua vida?

1. Através da Imposição das Mãos no Nome de Jesus
2. Através da Oração da Fé e unção com óleo no Nome de Jesus
3. Através da Própria Palavra de Deus
4. Através da Oração de Concordância

Veremos isso no próximo tópico.


Abraços a todos e um ótimo e abençoado dia!

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Se preparando para o Avivamento

Joel 2.28-32

-Introdução: Avivamento é trazer vida ao que está morrendo.
Como uma pessoa que tem uma convulsão e é socorrido e avivado para se levantar.
Em tempos de morte e desânimo, vários avivalistas que marcaram o mundo como Jonathan Edwards (1703 - 1758), John Wesley (1703-1791), Charles G. Finney (1792-1875), Charles H. Spurgeon (1834-1892), Dwight Lyman Moody (1837 - 1899), Willian Joseph Seymour (1906) todos têm características próprias mas uma única marca: a oração e uma luta comum contra o único imigo que enfraquece a Igreja: o pecado.
Não tem demônio, mundo, carne ou perseguição que enfraqueça a Igreja, mas o pecado mata a obra de Deus. Por isso estes homens foram homens que lutaram em oração contra a morte que vem pelo pecado.
Durante os tempos Bíblicos vemos diversos períodos que o povo precisou de um avivamento. Momentos em que estavam desanimados e fracos e foram reavivados.
Veja algumas exemplos:

 -Abraão que trouxe a fé viva para sua geração,
-José que foi um renovador da Esperança do povo
- Moisés que os renovou para a libertação do Egito
-Josué que avivou o povo para entrar na terra santa,
-os Juízes que durante trezentos anos renovavam o povo de Deus de tempo em tempo.
-Samuel num tempo que o pecado estava dominando,
-Davi que ensinou o povo a louvar e temer a Deus,
-Elias e Eliseu que mostraram os milagres do Senhor, -Neemias e Esdras os reconstrutores,
-Zorobabel, Zacarias e Ageu que profetizaram a reconstrução do templo,
-o rei Ezequias que faz uma reforma religiosa abolindo a idolatria do meio do povo
-o rei Josias que reencontra os livros da Lei
-Isaías que reanima o povo de Deus consolando,
-Jeremias que chora pelo povo
-Ezequiel que traz a visão do vale do ossos secos,
-Daniel que interecede por Jerusalém
-e até João Batista que prepara o caminho para o avivamento proclamando o arrependimento dos pecados.
Mas o avivamento definitivo só veio quando o Espírito Santo veio sobre Jesus e depois foi derramado sobre a Igreja.
Por isso o texto de Joel nos mostra dentre muitas outras coisas, três que precisamos para receber o avivamento.
O texto deixa bem claro que “depois que derramarei o meu espírito sobre toda a carne” mostrando que o avivamento só vem pelo poder do Espírito Santo.

Como posso me preparar para o avivamento?
1- Profetizar:
Profetizar é falar não o que vê e sim o que crê.
Como Ezequiel diante dos ossos secos e Jesus diante dos enfermos.

2- Sonhar:
Sonhar é imaginar, contemplar com a mente pela fé. Como José que sonhava com a liderança de seu povo.

3- Ver:
Ver significa ter a visão espiritual que vem de Deus e também contemplar a consumação de nosso sonho.
Às vezes não vemos como Deus vê como Geazi que foi colocar o bordão no menino e voltou dizendo que não aconteceu nada. Como Rode (Atos 12) que profetizou, sonhou mas não viu quando Pedro bateu à porta. No meio do povo de Deus muitos que estavam no deserto não puderam entrar e ver a terra prometida por causa do pecado da murmuração. Moisés também pecou com a ira e mesmo assim Deus lhe permitiu ver do monte a terra santa antes de morrer.
Devemos ser como Noé que profetizou, sonhou e viu a realização da arca salvadora.

Profetize, Sonhe e Veja o AVIVAMENTO!
-CONCLUSÃO:
“e acontecerá que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo” v. 32

Em tantos lugares estão acontecendo avivamentos, por isso acreditamos que Deus tem um avivamento para Medina, para o Vale do Jequitinhonha, para Minas Gerais, para o Brasil e para o mundo

terça-feira, 2 de setembro de 2014

Existem alguns tipos de confissão que podemos fazer

Existem alguns tipos de confissão que podemos fazer:
1) Confissão de pecados
2) Confissão baseada na incredulidade
3) Confissão da Palavra
A confissão dos pecados é um princípio espiritual e uma porta aberta para recebermos o perdão de Deus (1 Jo 1:9)
A confissão baseada na incredulidade fala à respeito das fraquezas, doenças, derrotas, circunstâncias e etc.
A confissão da Palavra diz respeito ao que Deus diz. Ela tem o seu lugar. Quanto mais você medita na palavra e fala a palavra a sua mente é renovada.
Se você quiser se edificar, ore em línguas. Se você quiser mortificar a carne, jejue. Se você quiser renovar a sua mente, leia a palavra, medite na palavra e CONFESSE a palavra.
Ouça:
- Se você não ler, meditar e falar o que a Palavra diz, você nunca será transformado pela renovação da sua mente.
Portanto, leia, ouça em mp3, medite, seja enriquecido da Palavra e fale a palavra.
Quando você fala a Palavra diariamente, você está ministrando a você mesmo.
Ao invés de falar da doença, fale de saúde, fale que você está curado (Is 53:4-5; 1 Pe 2:24; Mt 8:17)
Ao invés de falar de falta, escassez, miséria, fale da provisão de Deus na sua vida (Fp 4:19, Sl 23:1; Sl 35:27; Sl 34:9-10..)
Ao invés de falar que é derrotado, fale que você anda sempre em triunfo e é mais do que vencedor (Rm 8:37; 2 Co 2:14)
Não fale que é fraco, pois o Senhor te faz forte e multiplica as tuas forças (Is 40:28-31; Joel 3:10)
Isso não é e não será vãs repetições, porque a sua boca fala do que está cheio o seu coração (Lc 6:45)
Encha-se da palavra e a faça habitar ricamente em teu coração (Cl 3:16)
A doença é real, o sintoma é real, o diabo é real, mas Deus estabeleceu o seu Nome e a Sua PALAVRA acima de tudo e de todos (Sl 138:2)
Você não estará negando o sintoma ou a doença.
Você estará dizendo o que a Palavra de Deus diz: "Pelas suas pisaduras fomos sarados..." (Is 53:5)
Isto ocorre independente dos sintomas, da dor, do diagnóstico, porque você está firmado na Palavra de Deus e fala como Deus fala.
Por isso amados, "guardemos firmes a confissão da esperança, sem vacilar, pois quem fez a promessa é fiel" (Hb 10:23)
"...considerai atentamente o Apóstolo e Sumo Sacerdote da nossa confissão, Jesus." (Hb 3:1)
"...conservemos firmes a nossa confissão" (Hb 4:14)
Graça e paz!
(Pr. Isaias Barbosa)

Eu sou o que a Palavra de Deus diz.

"A verdadeira fé na Palavra diz: "Se Deus diz é assim, então, é assim". Se Deus diz que pelas suas pisaduras fui sarado, então estou sarado. (Is 53:4-5; 1 Pe 2:24)
Se Deus diz que irá suprir todas as minhas necessidades, então ele o fará. (Fp 4:19)
Se Deus diz que ele é a fortaleza da minha visa, então ele o é. (Sl 27:1)
Em outras palavra, a verdadeira fé em Deus consiste em falar de si mesmo aquilo que a Palavra de Deus diz."
(Kenneth Hagin)

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Cura Divina




A Cura Divina
Leitura: Mt 8.1-17

A dupla natureza humana

O homem é um ser material e espiritual. Deus se interessa por ambas as naturezas do homem. Não somente pela natureza espiritual, mas também material, o corpo.
A redenção de Cristo também inclui o corpo (Rm 8.23)
Nosso corpo é membro de Cristo e santuário do Espírito Santo, foi comprado por Deus e deve glorificar a Ele (1 Co 6.15-20)
O plano completo da redenção inclui tanto o espírito quanto o corpo humano. Jesus trouxe salvação e cura aos homens e a comissão dada aos discípulos foi que continuassem esta obra (Mc 16.15-18).
A origem das doenças
Quando o homem desobedeceu o mandamento de Deus (Gn 2.16,17), o pecado e a morte entraram no mundo (Rm 5.12).Toda a natureza passou a sofrer por causa do pecado (Gn 3.16-19).

O pecado está na raiz das doenças; é uma conseqüência da queda do homem.
a) Muitas doenças são frutos de pecados específicos. O fumante está propenso a sofrer um câncer de esôfago, língua, pulmão e estas doenças estarão intimamente relacionadas ao pecado de não cuidar do próprio corpo (1 Co 3.16,17). As doenças venéreas têm uma relação direta com a promiscuidade.

b) Existem muitas doenças de fundo psicológico que são causadas por ódio, rancor, ira, egoísmo, etc.

c) Algumas doenças podem ser causadas por ação direta de Satanás e seus demônios (At 10.38; Lc 4;35; 13.16). Se o “espinho na carne” de Paulo era uma doença (como muitos crêem), era um “mensageiro de Satanás” (2 Co 12.7).

d) Nem todas as doenças são diretamente causadas pelo pecado do indivíduo (ex: Jó), mas surgiram no mundo por causa da queda (desobediência, pecado) do homem.

Assim, percebe-se que se não houvesse pecado, não haveria doenças. Jesus revelou esta ligação entre as doenças e o pecado, perdão e cura (Jo 5.14; Mc 2.9-11).

A provisão de Deus através da redenção é tão abrangente quanto às conseqüências da queda. Para ao pecado, Deus provê o perdão. Para a morte, a vida eterna e para a enfermidade, Deus provê a cura.
Jesus teve tríplice ministério: ensinar a Palavra de Deus, pregar o arrependimento e curar todo tipo de moléstia, doença e enfermidade entre o povo.
A vontade de Deus quanto à cura
Deus quer curar seus filhos de todas as enfermidades. Devemos orar com fé que o Senhor é bom e quer a benção e a saúde de todos os seus filhos (salvo exceções onde a doença seja utilizada como meio disciplinar).

1.Desde o AT, Deus revela-se como aquele que sara (Ex 15.26). Ele prometeu curar o seu povo (Ex 23.25; Dt 7.15; Sl 91.9,10; Sl 103.2,3). Deus curou Miriã (Nm 12.12-15), Naamã (2 Rs 5.1-15), Ezequias (2 Rs 20.1-11), Jó (Jó 42.10-13) e muitos outros.

2.O Ministério de Jesus incluía muitas curas. Ao leproso Ele declarou: Quero curar (Mt 8.2,3). Existem 27 ocasiões em que Cristo efetuou curas individuais. Algumas delas: (Mc 1.23-27; Lc 7.1-10; Mt 8.2-4). E 10 outras onde houve cura de multidões. Algumas delas: (Mt 4.23-25; 8.16; 12.15). As curas operadas por Jesus estão em três categorias: curas físicas, exorcismos e ressurreições.

3.A provisão da expiação de Cristo inclui a cura do corpo. (Is 53.4,5; Mt 8.16,17; 1Pe 2.24). Cristo nos resgatou da “maldição da lei” (Gl 3.13). Esta maldição incluía muitas enfermidades (Dt 28.15-68).

4.O ministério contínuo da igreja deve incluir a cura divina, em nome de Jesus.
Jesus comissionou os apóstolos (Lc 9.1,2,6). Os setenta discípulos (Lc 10.1,8,9,19). Após o Pentecoste, a igreja primitiva prosseguiu neste ministério (At 3.1-10; 4.30; 5.16; 8.7; 9.34; 14.8-10; 19.11,12)
O crente deve prosseguir com humildade e fé e apropriar-se da plena provisão da expiação de Cristo, inclusive a cura do corpo.

Como ocorrem as curas

O NT registra três maneiras como o poder de Deus e a fé se manifestam através da igreja para curar:
(a) A imposição de mãos (Mc 16.15-18; At 9.17)
(b) A confissão de pecados conhecidos, seguida da unção do enfermo com óleo pelos presbíteros (Tg 5.144-16);
(c) Os dons de curar concedidos à igreja (1 Co 12.9).

A cura pode ocorrer de imediato ou progressivamente (Mc 8.22-25; 10.52; Jo 9.6,7)

A fé é necessária para que haja cura (Mc 16.17,18). A fé do que será curado (Mc 5.25-34; Mt 9.27-31) ou a fé de outros (Mt 8.5-13; Jo 4.46-53; Mc 2.1-12).

Às vezes há, na própria pessoa, impedimentos à cura divina, como:
(1) Pecado não confessado (Tg 5.16);
(2) Medo ou ansiedade aguda (Pv 3.5-8; Fp 4.6,7);
(3) Negligência da igreja quanto à oração da fé (Mc 11.22-24; Tg 5.14-16);
(4) Descuido da igreja em buscar os dons de cura (1 Co 12.9,10.29-31; Hb 2.3,4);
(5) Incredulidade (Mc 6.3-6; 9.19,23,24).
(6) Irreverência com as coisas santas do Senhor (1 Co 11.29.30).

Deus às vezes permite a doença (Jo 11.37; Gl 4.13,14; 1 Tm 5.23; 2Tm 4.20).
Noutros casos, Deus resolve levar seus amados santos ao céu, durante uma enfermidade (2 Rs 13.14,20).
De uma maneira geral, podemos dizer que Deus quer curar as enfermidades, mas em casos específicos, vemos que alguns não foram curados (Jo 5.3-9; Fp 2.25-27; 2 Tm 4.20; 1 Tm 5.23)

O que deve fazer o crente quando ora pela cura divina para si?
1.Estar em plena comunhão com Deus e com o próximo.
2.Encher sua mente e coração da Palavra de Deus (Jo 15.7; Rm 10.17).
3.Se a cura não ocorre, continuar e permanecer em Cristo (Jo 15.1-7), examinando ao mesmo tempo sua vida, para ver que mudanças Deus quer efetuar na sua pessoa.
4.Pedir orações dos presbíteros da igreja e aos irmãos (Tg. 5.14-16).
5.Ficar na expectativa de um milagre ( 7.8; 19.26).
5.Regozijar-se caso a cura ocorra na hora, e ao mesmo tempo manter-se alegre, se ela não ocorrer de imediato (Fp 4.4,11-13).
6.Saber que a demora de Deus em atender as orações não é uma recusa dele às nossas petições. Às vezes, Deus tem em mente um propósito maior, que ao cumprir-se resulta em Sua glória (Jo 9.13; 11.4,14,15,45; 22 Co 12.7-10) e em bem para nós (Rm 8.28).
7.Reconhecer que, tratando-se de um crente dedicado, Deus nunca o abandonará, nem o esquecerá. Ele nos ama tanto que nos tem gravado na palma das suas mãos (Is 49.15,16).

A Bíblia reconhece o uso apropriado dos recursos médicos (Lc 10.34; 1 Tm 5.23; 2 Rs 20.7) e valoriza os médicos (Mt 9.12; Cl 4.14).
Chegará um dia, quando o pecado será totalmente aniquilado e o sofrimento acabará (Ap 21.4-5,7).

Obras Consultadas:

DUFFIELD, Guy P., VAN CLEAVE, Nathaniel M. Fundamentos da Teologia Pentecostal. São Paulo: Quadrangular, 2000.
HORTON, Stanley M. Teologia Sistemática. Rio de Janeiro: CPAD, 2005 9ª edição.
RICHARDS, Lawrence, O. Guia do Leitor da Bíblia. Rio de Janeiro: CPAD, 2005 2ª edição.

Carlos Kleber Maia
Natal / RN, 2006.